Correção de cicatrizes inestéticas

Correção de cicatrizes inestéticas

Cicatrizes inestéticas podem surgir após traumas, queimaduras, ferimentos ou mesmo, após procedimentos cirúrgicos.

O paciente deve estar consciente que uma boa cicatrização depende de diversos fatores como: área corporal em questão, tipo de pele, tipo de ferimento, técnica cirúrgica e materiais utilizados no tratamento, cuidados pós-operatórios e principalmente capacidade cicatricial individual de cada pessoa, que, pode apresentar uma tendência a alterações cicatriciais como cicatriz hipertrófica e queloide.

O processo cicatricial está dividido em fases, sendo a fase final ou de maturação bastante longa. Por isso, uma cicatriz estará “madura” somente após muitos meses.

Durante o processo de cicatrização é possível tratarmos as alterações cicatriciais para que haja uma evolução mais favorável. No entanto, após a maturação cicatricial, a reparação cirúrgica pode ser necessária para o tratamento de uma cicatriz inestética.

O procedimento pode ser realizado com anestesia local ou associado à sedação endovenosa em casos de cicatrizes múltiplas ou extensas. Tratamentos adjuvantes podem estar indicados como, por exemplo, à radioterapia superficial ou betaterapia no tratamento pós-operatório de queloides.