Prótese de Glúteos

Prótese de Glúteos

O tratamento cirúrgico estético da região glútea (bumbum) pode ser realizado por lipoenxertia (lipoescultura) ou pelo implante de próteses de silicone dentro do músculo glúteo maximus.

O implante de prótese de silicone nos glúteos é um procedimento que proporciona um aumento significativo da região, com preenchimento e projeção superior a lipoenxertia.

A cirurgia é indicada para pacientes que desejam aumento desta área e uma grande melhora no contorno corporal. Normalmente associamos a lipoaspiração da região dorsal e cintura para obter um melhor resultado.

Esta cirurgia não é indicada para tratamento de flacidez das nádegas ou para melhora de celulite no local.

Anestesia

A anestesia utilizada para esse procedimento é a peridural associada à sedação endovenosa. Os exames pré-operatórios assim como a consulta pré-anestésica com o médico anestesista são essenciais para a realização de um procedimento seguro, minimizando os riscos cirúrgicos.

Tempo de cirurgia

Em geral, o tempo de duração desta cirurgia é de 120 minutos. Após o procedimento o paciente permanece em observação por um período de doze horas e recebe alta da clínica no mesmo dia da cirurgia.

Formas de implantação e cicatriz

As próteses de glúteos são implantadas através de uma incisão no sulco interglúteo (entre as nádegas). Após descolamento subcutâneo, realizamos a confecção de uma loja dentro do musculo glúteo maximus e então implantamos a prótese de silicone. Desta forma, a prótese intramuscular acompanha todos os  movimentos da musculatura glútea, dando aspecto natural a região.

Tipos de próteses glúteas de silicone

As próteses glúteas possuem dois formatos: redondas e ovais (quartzo). As próteses redondas estão indicadas paras as pacientes mais baixas com as nádegas mais curtas. As próteses ovais são mais longas e estão indicadas para pacientes mais altas com nádegas mais longas.

Cada paciente deve ser avaliado de forma individual para que com a escolha das próteses se obtenha o melhor resultado possível.

Pós-operatório

  • A recuperação cirúrgica se inicia no mesmo dia da cirurgia.
  • Após alta da clínica o paciente é orientado a permanecer em repouso domiciliar.
  • O paciente pode tomar banho no dia seguinte a cirurgia.
  • Pode permanecer em decúbito dorsal desde o primeiro dia de pós-operatório. Recomendamos o uso de uma superfície macia para o apoio das nádegas.
  • Deve evitar caminhadas longas assim como levantar peso.
  • Exercícios físicos estão proibidos por 30 dias.
  • Poderá dirigir após 30 dias.
  • São receitados analgésicos e anti-inflamatórios por uma semana.
  • As orientações médicas devem ser seguidas rigorosamente.

Resultados

O resultado final da cirurgia depende da recuperação total do edema (inchaço) e da completa cicatrização. Após a fase inicial de 60 dias se observa grande melhora do edema e um formato próximo ao resultado final.

Lembramos que, assim como os outros procedimentos em cirurgia plástica, a completa modificação corporal ocorre após os primeiros 6 meses da cirurgia e só estará completa próximo a 1 ano .

O resultado final de uma cirurgia dependerá, além da técnica cirúrgica, da qualidade da pele, tecidos e da cicatrização de cada paciente. O total comprometimento da paciente com as orientações pós-operatórias são essenciais para obtenção do melhor resultado.

As modificações nos hábitos de vida como dieta, exercícios físicos regulares, a manutenção do peso e eliminação de vícios como o tabagismo também têm grande influência no resultado a médio prazo.

Complicações e advertências

Uma cirurgia plástica, assim como qualquer outro procedimento cirúrgico, pode apresentar complicações. Cada organismo reage de uma forma ao procedimento cirúrgico, desta forma a evolução de uma paciente pode ser diferente de outra que foi submetida ao mesmo procedimento.

Assim, a maioria das pacientes evoluem sem problemas no pós-operatório, mas existe uma pequena parcela que podem apresentar alterações em sua recuperação, evoluindo com complicações. As complicações cirúrgicas podem acontecer, mas quando identificadas e tratadas adequadamente são revertidas e evoluem bem na quase totalidade dos casos. As mais comuns em cirurgia são:

  • Hematomas e sangramentos
  • Alterações cicatriciais
  • Infecção
  • Seromas
  • Necrose de tecidos
  • Alteração de sensibilidade cutânea
  • Trombose venosa
  • Complicações anestésicas
  • Reações alérgicas às medicações

As informações contidas neste site visam esclarecer o paciente sobre suas dúvidas e questões frequentes, mas não substituem a avaliação individual de cada caso.