Rinoplastia

Rinoplastia

A rinoplastia é a cirurgia que visa tratar a estética nasal, reequilibrando as proporções entre o nariz e a face. As alterações específicas da ponta nasal, do dorso, da base do nariz, assim como as alterações funcionais devem ser avaliadas em conjunto. A cirurgia nasal moderna tem como objetivo principal a modificação da estética associada à melhora funcional, ou seja, um nariz bonito e que respira bem.

Indicação

A cirurgia de rinoplastia está indicada para os pacientes que apresentam alterações no formato nasal. Essas alterações podem estar presentes em uma ou mais áreas como ponta, dorso, base nasal, entre outras.

Anestesia

A anestesia utilizada para o procedimento é a anestesia geral, e em casos selecionados, anestesia local associada à sedação endovenosa.

A Técnica

Atualmente a técnica utilizada para a realização da rinoplastia é a exorinoplastia, ou técnica aberta. Através de uma pequena incisão na columela nasal, realizamos a exposição das estruturas do nariz.

O septo nasal e as cartilagens que formam o arcabolco nasal são visualizados de forma direta, o que permite um tratamento muito eficaz das alterações encontradas. A confecção de enxertos cartilaginosos também é realizada de forma precisa, o que proporciona uma grande melhora estética e funcional do complexo nasal. A cicatriz resultante é mínima e pouco perceptível.

Pós-operatório

Após a cirurgia a paciente deve manter repouso relativo por até 7 dias, período inicial em que haverá melhora do edema e eventual equimose local. Após esse período retiramos a proteção nasal (Aquaplast) e o paciente está liberado para atividades leves. Exercícios físicos e exposição solar estão proibidos por 30 dias.

Resultados

O resultado final da cirurgia depende da recuperação total do edema (inchaço) e da completa cicatrização. Após a fase inicial de 60 dias se observa grande melhora do edema e um formato próximo ao resultado final.

Lembramos que, assim como os outros procedimentos em cirurgia plástica, a completa modificação corporal ocorre após os primeiros 6 meses da cirurgia e só estará completa próximo a 1 ano .

O resultado final de uma cirurgia dependerá, além da técnica cirúrgica, da qualidade da pele, tecidos e da cicatrização de cada paciente. O total comprometimento da paciente com as orientações pós-operatórias são essenciais para obtenção do melhor resultado.

As modificações nos hábitos de vida como dieta, exercícios físicos regulares, a manutenção do peso e eliminação de vícios como o tabagismo também têm grande influência no resultado a médio prazo.

Complicações e advertências

Uma cirurgia plástica, assim como qualquer outro procedimento cirúrgico, pode apresentar complicações. Cada organismo reage de uma forma ao procedimento cirúrgico, desta forma a evolução de uma paciente pode ser diferente de outra que foi submetida ao mesmo procedimento.

Assim, a maioria das pacientes evoluem sem problemas no pós-operatório, mas existe uma pequena parcela que podem apresentar alterações em sua recuperação, evoluindo com complicações. As complicações cirúrgicas podem acontecer, mas quando identificadas e tratadas adequadamente são revertidas e evoluem bem na quase totalidade dos casos. As mais comuns em cirurgia são:

  • Hematomas e sangramentos
  • Alterações cicatriciais
  • Infecção
  • Seromas
  • Necrose de tecidos
  • Alteração de sensibilidade cutânea
  • Trombose venosa
  • Complicações anestésicas
  • Reações alérgicas às medicações

As informações contidas neste site visam esclarecer o paciente sobre suas dúvidas e questões frequentes, mas não substituem a avaliação individual de cada caso.